sábado, 20 de junho de 2009

A valorização das artes para a diminuição da violência nas Escolas.

A arte é essencial no desenvolvimento dos alunos enquanto ser que pensa, que se expressa e coloca em prática as ações propostas pela mesma. Mas para diminuir a violência nas escolas, teria que ser diminuída a “violência” contra essa disciplina, pois, é tratada como disciplina secundária, de artesanato, de menos importância pela sociedade, as escolas deveriam valorizar mais os educadores dessa área, que são a ponte para desenvolver o humanismo e o emocional nesses educandos. Temos que conhecer a realidade de cada aluno, os anseios, as angústias, os sonhos, as alegrias, enfim, o educando enquanto ser humano que pensa e realiza seus sonhos e com isso valorizar o que vem deles, a sua cultura, a sua realidade, que às vezes é muito dura, pois, isso é muito importante para que possamos desenvolver um projeto dentro de uma escola, quando aprendermos a valorizar, a debater e a ouvir o nosso aluno e não apenas a repassar conteúdos, trabalharmos interdisciplinarmente, aí sim conseguiremos ter uma cultura de PAZ.
A música é reconhecida por muitos pesquisadores como uma espécie de modalidade que desenvolve a mente humana, promove o equilíbrio proporcionando um estado agradável de bem-estar, facilitando a concentração e o desenvolvimento do raciocínio, em especial em questões reflexivas voltadas para o pensamento filosófico. Segundo estudos realizados por pesquisadores alemães, pessoas que analisam tons musicais apresentam área do cérebro 25% maior em comparação aos indivíduos que não desenvolvem trabalho com música, bem como aos que estudaram as notas musicais e as divisões rítmicas, obtiveram notas 100% maiores que os demais colegas em relação a um determinado conteúdo de matemática. Com base em pesquisas, as crianças que desenvolvem um trabalho com a música apresentam melhor desempenho na escola e na vida como um todo e geralmente apresentam notas mais elevadas quanto à aptidão escolar. A valorização do contato da criança com a música já era existente há tempos, Platão dizia que “a música é um instrumento educacional mais potente do que qualquer outro”. Hoje é perfeitamente compreensível essa visão apresentada por Platão, visto que a música treina o cérebro para formas relevantes de raciocínio.
Eis então uma reflexão para pais e principalmente educadores, buscando inserir a música no seu planejamento, bem como criar estratégias voltadas para essa área, incentivando a criança a estudar música, seja através do canto ou da prática com um instrumento musical, isso desde a educação infantil.
Para ser professor hoje necessitamos de um “gostar”, de sermos melhores valorizados e nos valorizarmos, de interação, de uma constante troca de energias, de buscar melhorar sempre, de entender as situações que temos que enfrentar no dia a dia, de satisfação em ser professor e não pensar somente em salário, temos que pensar no ser humano, no que estamos propondo para o nosso aluno para que ele venha a ter um objetivo, um rumo na sua vida, que ele possa voltar a sonhar, que esse sonho um dia venha ser realizado, que bom se nós professores sejamos agentes desse processo, dessa conquista. O professor de artes é um grande transformador de idéias, sempre está propondo a valorização do desenvolvimento da criatividade, busca incentivar e desenvolver um ser critico que possa debater de igual para igual, em qualquer situação da vida.



Prof. Simone de Oliveira Celso
Graduada em Educação Artística Habilitação Artes Plásticas
Pós-graduação em Arteterapia, Educação e Saúde.

2 comentários:

deise disse...

Olá Simone, concordo com você quando se refere que artes é vista como disciplina secundária,acredito que sejam vários os fatores que contrbuem para tal,pois muitas vezes é visto o descaso dos professores, que sem motivação e preparação suficiente por varios motivos, apenas preenchem os horários com atividades que não desenvolvem os intelecto humano. E também a falta de interesse dos alunos. Mas a mudança desta cultura depende unicamete de nós.
Abraço

Marcos Tunnermann disse...

Deise, concordo quando você diz que muitos professores estão desmotivados e despreparados, pois, muitos destes não tem formação acadêmica e aceitam essa disciplina apenas para completar a carga horária, não sabendo trabalhar nesta área que é encantadora, acabam transformando os alunos em alienados em realação a arte, para que aja essa transformaçõa depende de nós educadores de artes nos impormos a isso.

Um grande abraço.

Simone